Quem olhe para competições de automóveis como a Fórmula 1, a Taça do Mundo de Todo o Terreno da FIA e outras, poderá pensar que se trata apenas de esporte motorizado, que não passa de entretenimento. E quem não for fã poderá mesmo pensar que é uma atividade fútil e dispendiosa.

Mas o negócio não é bem assim. Claro que existem competições motorizadas que são estritamente para entertenimento mas em essas que mencionamos acima e em algumas outras, podemos ver que existe a presença das grandes marcas automóveis como a Mercedes, a Ferrari, Renault, Scania, e de fabricantes de peças, de pneus e combustíveis.

Então qual será o propósito que leva a que essas enormes empresas invistam em uma atividade esportiva?

É Tudo Para Melhorar a Sua Segurança e Conforto

Não existe forma melhor de testar um produto que não levando esse mesmo produto até o limite. E o esporte de alta competição é isso mesmo, a procura do limite em essa atividade, motorizada ou não.

Os carros de Fórmula 1 competem no limite da velocidade, da travagem, da otimização da componente eletrônica, da utilização de combustível e da borracha dos pneus.

Na Taça do Munto de Todo o Terreno os carros são expostos a condições adversas, a estradas e outros terrenos de difícil circulação, a areia, água, pedras, gelo e neve e todas as outras dificuldades que a natureza possa oferecer.

É através do estudo e consequente melhoramento de todos os aspetos que permitem a melhor performance de um carro de competição que as marcas vão depois transferir tais conhecimentos para os carros de produção em massa.

Dessa forma os fabricantes vão melhorando a segurança dos condutores e passageiros, o conforto e manobrabilidade dos veículos e também otimizando as escolhas de borracha dos pneus para diferentes condições de terreno e os combustíveis que permitam uma melhor performance dos motores.