A partir do momento em que se descobriu que a Terra era redonda, surgiu na mente dos mais aventureiros a ideia de dar a volta ao mundo.

Os primeiros a concluir esse feito foram os tripulantes da expedição de Fernão de Magalhães, que entre 1519 e 1522 efetuaram a primeira viagem de circum-navegação do planeta.

Aliás, conhecendo a geografia do globo terrestre, fica claro que o mesmo só pose ser coberto de uma ponta até a outra por mar.

Com o surgimento dos carros e a construção das grandes estradas transcontinentais, muitos foram os que idealizaram atravessar a Terra de carro. Mas o grande obstáculo são e sempre foram os oceanos.

A travessia dos oceanos

Alguns sonhadores ainda pensaram passar da Europa para a América do Norte através da superfície do gelo polar mas os riscos eram demasiados e essa idéia teve que ser abandonada.

Hoje em dia é possível atravessar toda a Europa e a Ásia com muita segurança, embarcando depois os veículos em navios que ligam os continentes.

O problema é que muitas vezes esses cargueiros não permitem que o dono do carro viaje junto, pelo que se torna mais dispendioso visto que esse terá que viajar por outro meio.

O mesmo se passa com a travessia do Oceano Atlântico. Para além dos custos muito elevados, há toda uma logística a observar quando o dono e o seu veículo viajam separadamente.

Embora o clima nessas paragens possa não ser o mais convidativo, a melhor opção para cruzar o Atlântico com um mínimo de burocracia e o máximo de segurança será com ligações em ferry boat que são feitas entre o Canadá, a Gronelândia e/ou a Islândia e a Noruega.

Um bom planejamento é essencial para tal viagem mas se esse é o seu sonho, leve daqui algumas idéias e não desista dele.