A Relação do Homem com o Carro

A relação do ser humano com o seu carro é algo fascinante. A ligação única entre Homem e máquina leva quase como que à formação de um ser híbrido, um Homem motorizado, uma espécie de centauro!

Isso pode ser algo bom, como quando vemos um piloto de Fórmula 1 levando seu carro a mais de 300 km/h por um circuito sinuoso, mas é muito ruim quando provoca o “road rage”, as brigas de trânsito, que muitas vezes envolvem pessoas que em outras circunstâncias estariam perfeitamente calmas.

O carro é mais do que uma forma de locomoção para muitos. É um símbolo do seu estatuto, é algo exibido com orgulho, é um prolongamento do próprio ser humano.

É usado para impressionar, para intimidar, para dar confiança e competir com os outros.

E é algo percepcionado como tão valioso que é normal ser oferecido como prêmio.

O carro como prêmio ou troféu

O carro é algo tão desejado que é muito comum ser o prêmio ou parte de um troféu atribuído em concursos, sorteios ou para premiar uma competição esportiva.

Por exemplo, o clube de futebol América-MG utilizou o carro para trazer público para o seu estádio. Em parceria com uma famosa marca automóvel, organizou um sorteio entre os seus torcedores, oferecendo como prêmio cinco carros!

Claro que se o torcedor estiver em dúvida sobre se vai ao jogo ou não, a possibilidade de ganhar um carro vai pesar e muito em sua decisão.

E muitas são as competições (é muito comum em Maratonas e em torneios de tênis) que oferecem um carro ao vencedor.

O carro é um símbolo de estatuto, e as marcas patrocinam tais eventos porque sabem que com isso ganham visibilidade no mercado.

A verdade é que a relação entre o ser humano e o carro é algo único e está para durar ainda por muito tempo.